Explosions in the Sky

Biografia

É bem possível que Explosions in the Sky, ao lado do Mogwai e do Godspeed You Black Emperor!, forme uma espécie de tríade sagrada do post-rock. Se não tem a popularidade para além dos rincões do post-rock do Mogwai ou a aura cult do Godspeed, o Explosions tem em comum com essas duas bandas a autoria de alguns discos excepcionais e um séquito de admiradores obstinados.

A história do Explosions in the Sky — que inicialmente chamava-se Breaker Morant — começa em Midland, no Texas, onde Michael James, Mark Smith e Munaf Rayani, todos guitarristas, conheciam-se desde a infância. Apesar disso, a banda nasceu somente em Austin, para onde os três se mudaram posteriormente. Lá conheceram o baterista Chris Hrasky, que havia colocado um anúncio em uma loja de discos convocando músicos para formar uma “sad, triumphant, rock band”.

A partir de abril de 1999, os quatro começaram a ensaiar juntos, e depois de uma sessão feita no dia 4 de julho daquele ano (data que marca independência americana), surgiu a idéia de nomear a banda de Explosions in the Sky. A essa altura, Michael já havia assumido o baixo e o entusiasmo ia crescendo, à medida que os quatro amigos percebiam que havia um entrosamento natural e uma forte identidade entre eles.

A primeira apresentação para uma audiência aconteceu em agosto de 1999, mas pode-se dizer que o primeiro show de relevância aconteceu no festival Emo’s, em Austin, em janeiro de 2000. Um dos espectadores desta apresentação era a diretora de filmes independentes Kat Candler, que se encantou com a banda e pediu a eles que gravassem a trilha de seu novo filme, “Cicadas”, que estava em produção. A banda topou e gravou então aquilo que seria seu primeiro álbum, How Strange, Innocence. Este primeiro registro não teve muita circulação; foram editadas somente 300 cópias, pelo selo Sad Loud America, e muitas vezes nem é reconhecido como o debut do Explosions in the Sky. Mas, atualmente, suas poucas cópias existentes são itens valiosos, e muitos fãs considerem este o melhor trabalho do Explosions.

Em agosto de 2000 a banda assinou contrato com a Temporary Residence Limited Records. Jeremy DeVine, dono do selo, ficou encantado ao ouvir uma fita com algumas canções do grupo, que lhe foi enviada pelos membros do American Analog Set com um bilhete que dizia “THIS TOTALLY FUCKING DESTROYS”. Em dezembro do mesmo ano, a banda iniciou as gravações de seu novo disco, que seria lançado em agosto do ano seguinte sob o título de Those Who Tell The Truth Shall Die, Those Who Tell The Truth Shall Live Forever. A resposta ao lançamento foi excelente, levando a banda a fazer sua primeira turnê na Europa, em dezembro de 2001.

No começo de 2002, a banda decidiu se mudar de volta para Midland, por motivos operacionais. Logo depois voltou a tocar pelos EUA divulgando seu trabalho, fechando o ano com mais uma viagem a Europa, onde tocaram em um maior número de países e gravaram em Londres com John Peel. A banda tocou também duas noites em Taiwan, levando seu som ao reconhecimento em escala mundial.

Em novembro de 2003, o Explosions in the Sky lançou um novo disco, The Earth is Not a Cold Dead Place, que serviu para estabelecê-los definitivamente como um dos grandes nomes do post-rock. O álbum, formado por cinco faixas de beleza assombrosa, foi aclamado por crítica e público.

Em 2004, em meios aos shows de divulgação de seu último LP, a banda encontrou tempo e espaço para participar de dois projetos: uma coletânea da Temporary Residence Limited chamada Thank You e a trilha sonora do filme “Friday Night Lights”, de Peter Berg. Aliás, ter suas composições utilizadas na TV, sejam em seriados ou em comerciais, é algo que vem se tornando rotina para o Explosions in the Sky.

Já em 2005, foram dois os lançamentos: o EP The Rescue, lançado pela série Travels in Constants, que já teve colaboradores como Papa M, Low e Will Oldham; e uma segunda edição de seu disco de estréia, How Strange, Innocence, com novas arte gráfica e masterização.

O mais recente trabalho do Explosions in the Sky é o LP All of a Sudden I Miss Everyone, lançado em 2007 em duas versões, uma simples e outra que traz um disco bônus com remixes. Atualmente, a banda trabalha nas gravações de um novo disco, cujo lançamento deve ocorrer em 2011.

Última atualização

11/10/2010

Autores

Ver todos os créditos